PT Adial Ribeiro Godoy Júnior / Adial Júnior / Dance Boy de Curitiba - Injustiçado no amor procura gatinhas curitibanas com ajuda de visual rosa e dança dos anos 90.

Sparky Lurker

Arauto do Autismo
kiwifarms.net
Conheça Adial Júnior:
675373

Um verdadeiro mestre da dança:

















Adial tem um grande histórico na internet, a menção mais antiga dele vai até um artigo de 2002 falando da época que ainda usava fusca:
(http://archive.li/TB5MY)
Se um Fusca cor-de-rosa já chama a atenção, imagina quando ele traz mensagens nas portas laterais e um grande anúncio luminoso sobre o teto com foto, telefone para contato e e-mail. Pois foi esse o recurso encontrado pelo curitibano Adial Ribeiro Godoy Júnior para atrair a atenção das mulheres. Solteiro assumido, Adial confessa que tem dificuldades de encontrar uma companheira, principalmente por se considerar tímido. Já colocou anúncio em jornal e revista, tentou através da internet, foi intermediado por amigos, mas nada deu certo. “É muito azar”, diz Adial inconsolado.
Mas o caso não é apenas de pouca sorte. Secretário do Museu de Ciências Naturais da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Adial não se considera exigente, mas duas características são essenciais para ele: a mulher – ou melhor, garota, já que ele prefere aquelas com idade entre 16 e 18 anos -, tem que ser extrovertida e gostar do estilo musical “bate-estacas”. Aliás, não é à toa que Adial se auto intitula dance boy e seu fusca cor-de-rosa recebe, carinhosamente, a denominação dance-móvel. “Ela tem que ser do meu estilo, gostar de ir às matinês de domingo, gostar de dance music. Qual mulher de 30 anos curte matinê? Se isso é ser exigente, então eu sou”, admite.
Adial conta que nunca namorou e se relacionou até hoje com apenas três mulheres. O mais longo durou três meses – isso em 1993. Para ele, uma das maiores dificuldades é chegar até às mulheres. “Não sei chegar, sou tímido, prefiro que elas me procurem”, conta. Daí a idéia de ter um carro chamativo. “Comprei o Fusca em meados de julho de 2000. No ano passado, coloquei o anúncio no vidro, mas como achei que não chamava muito a atenção, resolvi colocar a placa no carro”, relata.
Nas portas laterais do fusca cor-de-rosa, há a seguinte mensagem: “Mulherada: se vocês querem direitos iguais, então por que ainda esperam que nós homens é que tomemos a iniciativa e cheguemos em vocês??? (Dancer boy).” Já no anúncio luminoso, Adial é mais incisivo: “Quero conhecer gatinhas extrovertidas que curtam dance music e agitem no Domingão. Falar com Adial Júnior. Fone: (41) 9993-6774. E-mail: [email protected].” As mensagens, no entanto, não têm conseguido alcançar o êxito esperado. Adial conta que recebeu apenas uma ligação até agora, e não sabe ainda se foi por curiosidade ou trote.
Estratégias
Como se não bastasse o carro cor-de-rosa e os anúncios, Adial revela ainda outras estratégias para conseguir uma mulher. “Durante a semana, fico na saída dos colégios, esperando as meninas. Também procuro andar no centro, com o carro, deixá-lo estacionado no shopping, abastecer sempre em postos diferentes para que mais pessoas me vejam, passar por ruas diferentes. Quem sabe alguma mulher me enxerga e chega em mim?”, indaga.
Para ele, o motivo da solidão é azar, misturado à timidez. “Não entendo: sou um cara romântico, que trabalha e é extremamente fiel. Tudo o que as mulheres procuram em um homem, mas que não enxergam em mim”, lamenta. Para os que condenam a sua iniciativa e fazem dele motivo de chacota, o obstinado Adial é taxativo: “Não me importo com o que os outros falam. Quero seguir o meu estilo. Não estou cometendo crime algum.”
Hoje em dia ele usa um novo modelo de carro como o seu dance móvel:
675374

675375

Em 2010 Adial criou um blog em que atualizava para falar sobre a sua lovequest e origem do seu jeito de ser, por exemplo este post que ele explica sobre sua brilhante dance bike:
(http://archive.li/bD327)
Foi então que resolvi criar também a Dance Bike, a minha bicicleta personalizada, o segundo meio de transporte do Dance Boy. Ela teria o mesmo anúncio luminoso do carro, conjunto de luzes e o som. Novamente foram muitos meses tentando superar as dificuldades técnicas para principalmente adaptar o conjunto de som nela. E achar um profissional que fizesse os vários tipos de serviços necessários. Que dificuldade gente! Mas depois de muita ansiedade, esquentação de cabeça e uma boa quantia de dinheiro gasta, finalmente a minha típica persistência de sempre venceu tudo. Agora a minha vida tinha se tornado assim: trabalhava de segunda à sexta das 08h30min às 17h30min, nas segundas e quartas ia com o Dance Móvel na entrada das aulas das escolas e colégios às 19 horas e depois rumava para a academia. Nas segundas e quartas praticava Musculação e nas terças e quintas Kung Fu. Na sexta se o tempo estivesse bom andava com a Dance Bike pelo bairro onde moro ou pelos bairros vizinhos. Se estivesse chuvoso e eu sem companhia ia a shopings. Às vezes podia contar com um amigo e então íamos a barzinhos ou lanchonetes muito freqüentados. Sempre em várias regiões da capital. Sábado à tarde era o meu grande dia de rodar com a minha bicicleta pelas ruas desta cidade e região, incluindo os parques, praças e locais bem freqüentados. Fazia questão de passar pelas vilas onde estavam garotas reunidas nas calçadas ou em frente de casa. Quando não dava para sair devido ao tempo chuvoso ia rodando a cidade de ônibus pelos terminais. E claro, no fim de tarde de domingo pegava o Dance Móvel e ia marcar presença e me divertir nas danceterias, os meus segundos lares no domingão, quase sempre em companhia do Fábio. Cada domingo ia a uma, variando sempre e fazendo toda a galera jovem saber da existência de Adial Júnior, o Dance Boy. Desta vez eu obrigava elas me verem. Eu fazia acontecer, ao contrário do que antes aconteceu comigo por acaso e nem sempre ao meu favor. Gostassem ou não eu passei a dedicar minha vida a este ideal. E não estava nem aí com o que os outros poderiam pensar. Sempre tive em mente que as pessoas que se assustassem com estas minhas atitudes eram as preconceituosas e atrasadas, as quais quero longe de mim. Poderia até não conseguir mulher, mas uma coisa conseguiria: ficar uma figura exótica famosa, assim como ficaram várias outras pessoas. E ir de encontro a esses tabus que tanto critico. Sou um excêntrico sim, e com muita satisfação e orgulho. Em primeiro lugar acho muito chato ser “normal” e levar aquela vida medíocre da maioria. Se aqueles personagens da vida real fossem iguais a todos não teriam chegado aonde chegaram. Seriam mais um na multidão. Para mim a vida sem um nobre objetivo não tem mérito nenhum. Além do mais “é o único jeito” de ser notado neste lugar. Antes era como que um homem invisível, ao qual nenhuma mulher dava valor. Por isso me identifico com aquele pensamento que se não me engano foi o cantor Raul Seixas quem disse: “Sou louco pelo simples fato de que o mundo não me deu nenhuma razão para eu ser normal”. Para quem achava que eu ia afastar mais as garotas, essa foi a fase em que consegui ficar com várias em danceterias. Às vezes o Fábio me ajudava, mas devo muito a um conhecido Dj e animador de uma danceteria em que vou, o fato de já ter ficado e dado uns bons beijos e abraços em umas oito gurias. Ele me chamava lá na cabine de som na presença de todos e alguma mulher que subisse lá e me beijasse. A mesma levaria cervejas de brinde pela participação. Isso me ajudou a ficar cada vez mais conhecido e a derrubar aquela idéia errada de muitas de que eu era sério demais, certinho, cdf ou coisa parecida. Depois ele me concedeu a oportunidade de participar de duas entrevistas na Rádio Comunitária do Boqueirão (RCB), onde trabalhava como locutor. Aí pude começar a dar uma idéia do drama pelo qual passo a todos da região. Conheci também na RCB outro radialista, o Adriano Bedin, um cara que considero muito e que começou a ler esta história no ar. Pena que ficou interrompida porque ele saiu da emissora. Através dele conheci outro amigo, o Júnior, que também curtia danceterias e me acompanha sempre que possível. Os últimos amigos que fiz foram o André e o Tatu de São José dos Pinhais através do mural de recados do site do Planeta Ibiza. Foi um achado encontrar gente que pensa igual a mim quanto a danceterias, músicas antigas e quanto a maneira de encarar a vida. Isso é muito difícil, como me disse o próprio André. Eles agora passaram a ir junto comigo nos domingos sempre que possível, e até quiseram conhecer lugares fora de Curitiba e do Estado do Paraná. Uma das últimas atitudes que tomei foi comprar um carro maior para personaliza-lo e ser o meu novo Dance Móvel, pois o fusca é muito pequeno para viajar com cinco pessoas e transportar suas bagagens e a minha bicicleta com seus acessórios. Decidi não me desfazer do carro mais pequeno, mas volta-lo na cor original que era. Assim poderia usar este quando quisesse andar como um cidadão comum e o outro todo personalizado quando andasse como o Dance Boy. Comprei um Del Rey Série Ouro ano 1984. Aproveitei um pouco do dinheiro da venda da casa e terreno dos meus pais, que se mudaram para morar perto de mim. Esse carro é confortável, econômico e tem um bom espaço, principalmente de porta-malas, além de ter sido um ícone dos anos oitenta. Serve também para ir de encontro ao preconceito que muitos tem quando dizem que é um carro de vovô. Para mim não existe isso, o que existe é o preconceito de umas mentes atrasadas contra certos carros. Se eu fosse rico o meu Dance Móvel seria um Cadillac 1957 ou 1958 "rabo de peixe". Ou pelo menos um Chevrolet Impala 1960. O meu negócio é carro antigo! Esses carros são muito mais bonitos que qualquer um desses modernos, chamam muito mais atenção, além de serem enormes, confortáveis, mais duráveis e terem marcado época. Mas voltando à mulherada: mesmo aventura é muito difícil de acontecer comigo em Curitiba e região. Não sei se por aqui existe a pessoa que procuro. O que não sossegarei enquanto não fazer é ir para fora do Paraná. Muitos me falaram que eu me daria bem em certas cidades de Santa Catarina. E recentemente descobri que em Joinville existe também uma danceteria para público jovem e adolescente, que funciona no domingo. Acho que me daria bem com as gaúchas, só que o Estado do Rio Grande do Sul é longe e lá não tenho nenhum conhecido. É, o jeito agora é tentar fora. Não boto fé neste povo de jeito nenhum. Acho que já tentei quase tudo. Como não rolou nada eu simplesmente desanimei das garotas deste lugar. Aqui faço a minha campanha mais para ficar conhecido. Talvez um dia possa trabalhar com propaganda de danceterias, já que tenho aparelhos de som no carro e na bicicleta. Quem sabe um dia posso sair num programa de televisão a nível nacional, para todas as mulheres brasileiras me verem. Resumindo em poucas palavras: o que quero é uma garota que faça o meu tipo físico, vá a danceterias no domingo, tenha a cabeça no lugar e que tome a iniciativa de chegar em mim!
675376

Ainda usou o Yahoo respostas por um tempo, lá também dava algumas opiniões sobre o mundo ao seu redor, uma das melhores resposta que resume a vida de Adial é esta aqui:
675377

Mas depois de um tempo decidiu abandonar o blog e adotar um formato de canal com vlogs como o seu "principal projeto":
Em um vídeo bem antigo,em que Adial diz que expôs o seu personagem de Dance boy pela primeira vez a pedido de terceiros, Adial fez um mini-documentário sobre a meta filmagem:





















Como algumas grandes figuras brasileiras (Tidinha Meneghel ) a mídia brasileira também apostou por um curto período na forma "especial" de o Adial ser:
Aparição no caldeirão do Huck: https://globoplay.globo.com/v/3231984/





















A aparição de Adial no Caldeirão do Huck rendeu alguns memes para a redação do buzzfeed:
(https://web.archive.org/web/20190224230146/https://www.buzzfeed.com/br/rafaelcapanema/os-melhores-momentos-de-adial-junior-o-dance-boy-no-calde)
Depois que a fama se apagou Adial andou por um tempo sumido e nesse meio tempo tentou adotar novos visuais em seus passeios:
675379

675380

675381
Porém acabou voltando para o seu modelito rosa e resumiu sua love quest.
Adial ainda entrevistou alguns grupos e pessoas no seu canal que frequentavam as mesmas danceterias que ele:



































A entrevista com o Subburbia gerou o vídeo mais bizarro do canal do Adial:





















Adial Júnior recentemente respondeu críticas sobre sua pessoa e explicou seu jeito de ser para acabar de vez com os pré-julgamentos:

















Se Adial vai finalmente achar o amor da vida dele depois de mais uma década ainda não sabemos, mas recentemente ele achou uma batata doce com uma forma muita engraçada:

















Mídia Social:
Blog: https://danceboyadialjunior.blogspot.com/ (http://archive.li/7cqUw )
Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCjMfPRD9CMnC9g9p09igS_A
Facebook: https://www.facebook.com/adial.junior.9 (http://archive.li/qDcZm )
Yahoo Respostas: https://br.answers.yahoo.com/activity/questions?show=JPQDSH5AQ25SGWFKHGRQBMH7F4&t=g (http://archive.li/NuBwr)
 
Last edited:

AsianChris

Living in a trollsta's paradise.
kiwifarms.net
Finalmente uma thread da melhor lowcow brasileira. Infelizmente, ele apagou alguns de seus conteúdos com materiais preciosos, como o vídeo em que ele atira na própria cabeça com um .32 sem balas e a página no Facebook (não o perfil) com relatos mais recentes. Se não me engano, nessa mesma página, ele contou que fingiu não ter se formado só pra se matricular numa escola e pegar mulher, o que falhou miseravelmente.

Fica o aviso que ele procura o próprio nome no Google e até tentou processar o Outer Space, mas duvido muito que ele consiga algo em águas internacionais.
678300
 
Last edited:

cuevasen

- hey Joe, what do you know?
kiwifarms.net
Trago boas novas. Kek

680971


Conheça Adial Júnior:
View attachment 675373
Um verdadeiro mestre da dança:
Adial tem um grande histórico na internet, a menção mais antiga dele vai até um artigo de 2002 falando da época que ainda usava fusca:
(http://archive.li/TB5MY)

Hoje em dia ele usa um novo modelo de carro como o seu dance móvel:
View attachment 675374
View attachment 675375
Em 2010 Adial criou um blog em que atualizava para falar sobre a sua lovequest e origem do seu jeito de ser, por exemplo este post que ele explica sobre sua brilhante dance bike:
(http://archive.li/bD327)

View attachment 675376
Ainda usou o Yahoo respostas por um tempo, lá também dava algumas opiniões sobre o mundo ao seu redor, uma das melhores resposta que resume a vida de Adial é esta aqui:
View attachment 675377
Mas depois de um tempo decidiu abandonar o blog e adotar um formato de canal com vlogs como o seu "principal projeto":
Em um vídeo bem antigo,em que Adial diz que expôs o seu personagem de Dance boy pela primeira vez a pedido de terceiros, Adial fez um mini-documentário sobre a meta filmagem:
Como algumas grandes figuras brasileiras (Tidinha Meneghel ) a mídia brasileira também apostou por um curto período na forma "especial" de o Adial ser:
Aparição no caldeirão do Huck: https://globoplay.globo.com/v/3231984/
A aparição de Adial no Caldeirão do Huck rendeu alguns memes para a redação do buzzfeed:
(https://web.archive.org/web/20190224230146/https://www.buzzfeed.com/br/rafaelcapanema/os-melhores-momentos-de-adial-junior-o-dance-boy-no-calde)
Depois que a fama se apagou Adial andou por um tempo sumido e nesse meio tempo tentou adotar novos visuais em seus passeios:
Porém acabou voltando para o seu modelito rosa e resumiu sua love quest.
Adial ainda entrevistou alguns grupos e pessoas no seu canal que frequentavam as mesmas danceterias que ele:
A entrevista com o Subburbia gerou o vídeo mais bizarro do canal do Adial:
Adial Júnior recentemente respondeu críticas sobre sua pessoa e explicou seu jeito de ser para acabar de vez com os pré-julgamentos:
Se Adial vai finalmente achar o amor da vida dele depois de mais uma década ainda não sabemos, mas recentemente ele achou uma batata doce com uma forma muita engraçada:
Mídia Social:
Blog: https://danceboyadialjunior.blogspot.com/ (http://archive.li/7cqUw )
Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCjMfPRD9CMnC9g9p09igS_A
Facebook: https://www.facebook.com/adial.junior.9 (http://archive.li/qDcZm )
Yahoo Respostas: https://br.answers.yahoo.com/activity/questions?show=JPQDSH5AQ25SGWFKHGRQBMH7F4&t=g (http://archive.li/NuBwr)
A galera do Osternak manja o Adial, é o batata do bairro. Todo mundo conhece ele como o maluco da vizinhança.

(...) como o vídeo em que ele atira na própria cabeça com um .32 sem balas.
Eu vi esse vídeo, mas não tive a presença de espírito de salvá-lo, mas vi um fio sobre isso no 55, então capaz de terem feito algum webm.

680975
 

ElAbominacion

Somewhere in the Swamps south of the Mexico border
kiwifarms.net
Puta que pariu, não sei se tenho pena ou se rio mais desse cara. Quando ele tava normal, era capaz de arrumar uma viúva, sei lá.
 

AsianChris

Living in a trollsta's paradise.
kiwifarms.net
Procurando no Outer Space, encontrei umas evidências das ameaças de processo:

Adial mandando mensagens pelo Orkut a um membro do forum:
https://forum.outerspace.com.br/index.php?threads/dance-boy-e-amigos-realizando-pedido.30905/

Adial dando uma de machão por email:
https://forum.outerspace.com.br/index.php?threads/não-sabem-pegar-mulher-É-esse-cara-sabe-revivendo-a-lenda.248528/#post-6214640

Vídeo excluído do nosso herói, o titulo do tópico já e autoexplicativo:
https://forum.outerspace.com.br/index.php?threads/bora-olhar-as-cocotas-na-saida-da-escola.203172/

Outros tópicos e posts citando o acontecido:
https://forum.outerspace.com.br/index.php?threads/adial-júnior-o-danceboy-ataca-novamente-dessa-vez-pelo-twitter.263257/

https://forum.outerspace.com.br/index.php?threads/somente-os-veteranos.543927/page-5#post-16606897 (Esse tem algo citando Izzy Nobre, outra cow, o que pode ser indicio de bom material).

https://forum.outerspace.com.br/index.php?threads/torcedor-perde-emprego-após-xingar-comentarista-de-futebol-no-twitter.545490/page-4#post-16697035

Seria bom se algum veterano do OS daquela época pudesse dar mais detalhes sobre o que aconteceu, e se alguém salvou os conteúdos do Dance Boy da época do Orkut.
 
  • Informative
Reactions: Sparky Lurker

Sonichump

Gin fueled nights
kiwifarms.net
Ja ouvi falar nesse lolcow, porque na epoca comparavam ele com o chrischan. Muito bom. O Adial ja teve namorada alguma vez na vida? Ou sempre foi solteiro desde sempre? Outra: voces diriam que ele eh um incel?
 

AsianChris

Living in a trollsta's paradise.
kiwifarms.net
Ja ouvi falar nesse lolcow, porque na epoca comparavam ele com o chrischan. Muito bom. O Adial ja teve namorada alguma vez na vida? Ou sempre foi solteiro desde sempre? Outra: voces diriam que ele eh um incel?
É um pouco difícil arranjar documentação do Adial (vou pesquisar melhor quando tiver tempo), então pode ser que minha memória esteja enganada. Bem, pelo visto, ele arranjou um namorico , nada muito sério, com uma moça após sua aparição em algum desses programas de TV. No fim, não deu certo, ele ficou frustrado e fez o vídeo da arma, já citado no tópico. O Dance Boy estava claramente arrependido, pois pra ficar com essa moça ele acabou botando uma segunda(!) pretendente de escanteio. Quando foi atrás dela, já era tarde. Essa é a única referência a uma potencial namorada que me lembro, mas pode haver mais.

Tinha uma época em que certo DJ de uma danceteria chamava as moças na balada para beijá-lo, e algumas delas realmente iam, então BV com certeza não é. Detalhe que isso era relato da antiga página no facebook, já extinta, infelizmente. Adial sempre foi meio obscuro em relação à sua virgindade, mas mesmo que a tenha perdido, ele definitivamente age como um incel.

EDIT: O post do OP esclarece melhor a sua dúvida:
Adial conta que nunca namorou e se relacionou até hoje com apenas três mulheres. O mais longo durou três meses – isso em 1993. Para ele, uma das maiores dificuldades é chegar até às mulheres. “Não sei chegar, sou tímido, prefiro que elas me procurem”, conta. Daí a idéia de ter um carro chamativo. “Comprei o Fusca em meados de julho de 2000. No ano passado, coloquei o anúncio no vidro, mas como achei que não chamava muito a atenção, resolvi colocar a placa no carro”, relata.

Bônus: Fic com self-insert de nosso heroi: http://oquadrodamorte.blogspot.com/
Bônus 2:
770965
 
Last edited:
Tags
None

About Us

The Kiwi Farms is about eccentric individuals and communities on the Internet. We call them lolcows because they can be milked for amusement or laughs. Our community is bizarrely diverse and spectators are encouraged to join the discussion.

We do not place intrusive ads, host malware, sell data, or run crypto miners with your browser. If you experience these things, you have a virus. If your malware system says otherwise, it is faulty.

Supporting the Forum

How to Help

The Kiwi Farms is constantly attacked by insane people and very expensive to run. It would not be here without community support.

BTC: 1DgS5RfHw7xA82Yxa5BtgZL65ngwSk6bmm
ETH: 0xc1071c60Ae27C8CC3c834E11289205f8F9C78CA5
BAT: 0xc1071c60Ae27C8CC3c834E11289205f8F9C78CA5
LTC: LSZsFCLUreXAZ9oyc9JRUiRwbhkLCsFi4q
XMR: 438fUMciiahbYemDyww6afT1atgqK3tSTX25SEmYknpmenTR6wvXDMeco1ThX2E8gBQgm9eKd1KAtEQvKzNMFrmjJJpiino